Voltar

Pré-Arranque Arranque de ETAR na Águas do Noroeste

  • CÓDIGO DO PROCESSO

    340.13.COND-DST

  • DESIGNAÇÃO

    Pré-arranque e Arranque de ETAR de Cávado-Homem

  • DONO DE OBRA

    Águas do Noroeste, S.A.

  • CLIENTE

    DST, SA e Conduril, S.A.

  • LOCAL

    Vila Verde

  • ANO

    2013

  • DURAÇÃO DO CONTRATO

    28 Meses

  • PRINCIPAL OBJECTIVO

    Operação e manutenção da ETAR de Cávado-Homem

  • DIMENSÃO

    50.000 Habitantes Equivalentes

  • ESTIMATIVA ORÇAMENTAL

    Lamas activadas em regime de baixa ou média carga, com digestão anaeróbica de lamas

  • DESCRIÇÃO

    Fase Líquida
    A linha de tratamento adoptada para a ETAR contempla uma gradagem, recorrendo a uma grade grossa mecânica, que descarrega num parafuso que compacta e acondiciona os gradados em contentor. Segue-se a tamisagem, em tamisadores de tambor rotativo, que descarregam igualmente num parafuso que encaminha os tamisados para outro contentor. A remoção de areias, óleos e gorduras é realizada em 2 desarenadores/ desengorduradores rectangulares equipados, cada um deles, com 2 arejadores submersíveis para promover a flotação de óleos e gorduras e com extracção de areias por air-lift. De seguida, a água residual é encaminhada para 2 órgãos de decantação primária, do tipo lamelar e de planta quadrada, após os quais, é realizada a medição do caudal alimentado ao tratamento biológico.
    Este último ocorre em 2 reactores com a configuração de Valas de Oxidação, cada um dos quais com a oxigenação garantida através de 2 arejadores de superfície de eixo vertical. Para promover-se a remoção biológica de fósforo, prevê-se um tanque anaeróbio a montante de cada tanque de arejamento. Por sua vez eventuais fenómenos de bulking das lamas activadas são minimizados introduzindo-se tanques de contacto anóxicos (selector), a montante do tanque anaeróbio. De salientar que a decantação secundária na ETAR é assegurada por 2 órgãos de planta circular. O efluente da decantação secundária é filtrado através de 1 microtamisador (30 micra) e, posteriormente, desinfectado em 2 canais, onde o efluente filtrado é submetido à radiação UV. Parte do efluente final é bombeado e adicionalmente filtrado e desinfectado para efeitos de reutilização na ETAR.

    Fase Sólida
    O tratamento da fase sólida inicia-se com o espessamento gravítico das lamas primárias num órgão circular e com o espessamento mecânico das lamas biológicas em 2 tambores de espessamento. As lamas mistas espessadas (juntamente com os O&G provenientes do tratamento preliminar) são depois alimentadas a um digestor anaeróbio operado em alta carga, em regime mesófilo (35 ºC) e com agitação mecânica (através de um electroagitador mecânico tipo SCABA), Após a digestão, as lamas estabilizadas são recolhidas num tanque de armazenamento de lamas digeridas, a partir do qual, por sua vez, se alimenta a etapa de desidratação mecânica realizada em 2 centrífugas. Por fim, as lamas desidratadas são armazenadas em 2 silos antes de envio a destino final.

    Fase Gasosa
    Na ETAR está prevista a extracção e o tratamento do ar viciado de vários locais e equipamentos, nomeadamente obra de entrada, tratamento primário e tratamento de lamas. O ar viciado, extraído dos locais acima indicados, é tratado por lavagem química em três torres de lavagem onde são doseados ácido sulfúrico, soda cáustica e peróxido de hidrogénio, antes de ser libertado para a atmosfera.