Voltar

ETA da Magra – Reforço do Abastecimento de Água na Região de Beja
10
Julho

 

O Projecto elaborado pela CTGA para o Consórcio DST/DTE saiu vencedor do concurso público para a empreitada de concepção-construção promovido pela AgdA – Águas Públicas do Alentejo, para a execução da ETA da Magra.

O Subsistema da Magra será alimentado por duas origens, as captações subterrâneas de Beja e a albufeira da Magra, sendo o caudal médio diário de 7 177,2 m3/dia.

O esquema de tratamento preconizado para levar a cabo a produção de água de consumo é constituído por uma linha de tratamento para a fase líquida que compreenderá os seguintes processos: (1) Correcção de pH, por adição de CO2; (2) Pré-oxidação, por ozono; (3) Coagulação, por adição de agente coagulante; (4) Correcção de agressividade, com adição de leite de cal; (5) Sedimentação, em decantadores de manto de lamas com pulsação e/ou em flotadores, precedidos de floculação em câmaras de mistura lenta; (6) Filtração, por recurso a filtros rápidos de areia; (7) Afinação, que será constituída pelas etapas de oxidação intermédia e de filtração final em filtros de carvão activado granulado; (8) Desinfecção e afinação final do pH, efectuadas na cisterna de água tratada da ETA; (8) Estação elevatória e cisterna de armazenamento de água para lavagem dos filtros; (9) estação elevatória intermédia, para alimentação da etapa de afinação (oxidação intermédia e filtração final em carvão activado granulado); (10) Tanque de equalização de lamas; (11) Espessamento gravítico; (12) Desidratação de lamas, por centrifugação.

O valor global da empreitada será de 4 599 500,00 € e o prazo de execução previsto é de 545 dias.